Artigo - Jornada de Trabalho: Menos quantidade e mais qualidade!

O capitalismo brasileiro é burro. Escraviza sua classe trabalhadora e a sujeita a jornadas excessivas, com horas extras desumanas. A experiência de países avançados, todavia, demonstra que tal método, em termos de produtividade, está errada.

Fico sabendo que a nova primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin, sugere a adoção de uma jornada de trabalho alternativa, de 6 horas por dia e quatro dias na semana. A proposta de Marin é baseada em experiências anteriores que sugerem que a alteração é benéfica.

Vale ressaltar o exemplo da Microsoft do Japão, que implantou uma semana de 4 dias e registrou um aumento de 40% na produtividade.

O modelo é utilizado na Suécia desde 2015, dando mais qualidade de vida ao trabalhador e, com isso, aumentando a qualidade e a intensidade na equação custo benefício.

Julgo importante permitir que os cidadãos trabalhem menos e, assim, reúnam condições de produzir mais e melhor. Nós, do Sintracon-SP, acreditamos que as pessoas merecem passar mais tempo com as suas famílias e os seus amigos, ocupados com hobbies, dando mais atenção a cursos de capacitação e cultura.


Antonio de Sousa Ramalho
Presidente do Sindicato da Construção Civil de São Paulo