Artigo - Juntos pela Democracia

O atual momento de constantes ataques a democracia exige a reafirmação da unidade para defende-la. Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário são instituições que formam os pilares da democracia. Logo, não podemos compactuar ou permitir ataques às instituições tão importantes como o Congresso Nacional e o STF (Supremo Tribunal Federal).

Diante da convocação do presidente da república para manifestações contra o Congresso e o STF, precisamos expressar nosso inconformismo.

Este Sindicato tem uma longa história de luta em defesa da democracia, dos direitos humanos e sociais. Atuamos contra as práticas autoritárias do regime ditatorial. Lutamos veemente pela defesa das liberdades democráticas e pela redemocratização do país. Não aceitamos atitudes antidemocráticas.

O Brasil precisa é da construção de um projeto nacional que atenda a todos. Um projeto que gere mais empregos e renda, com trabalho decente. Um projeto que conduza à erradicação da pobreza e à redução das desigualdades sociais, de raça e de gênero. Precisamos de ações que preservem o meio ambiente, que defendam a soberania nacional sem entregar o nosso patrimônio para as mãos do capital. E que assegurem educação e saúde para todos.

Para isto, a democracia é essencial e indispensável. Devemos reforçar a defesa do estado democrático de direito, com o respeito aos diversos poderes constituídos, com o respeito a livre organização dos trabalhadores. Não podemos aceitar o retorno do autoritarismo, não podemos aceitar retrocessos.


Jorge Nazareno - Jorginho
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) da Presidência da República e da direção nacional da Força Sindical