Artigo - Vamos reforçar nossa mobilização

A pressão nas portas das fábricas é o instrumento dos trabalhadores para fazer ecoar na mesa de negociações a nossa força e exigir que o grupo patronal atenda as nossas reivindicações. Na semana passada, os companheiros e companheiras de Alphaville, Carapicuíba, Osasco e Tamboré participaram do mutirão de assembleias e mostraram disposição de luta pela nossa pauta. Nesta semana, esperamos a mesma participação dos metalúrgicos das regiões de Cotia e Barueri. 
 
Sem dúvidas, a mobilização deste ano se dá num dos cenários mais duros, em que centenas de pessoas têm pagado com seus empregos o preço da crise econômica, aprofundada pela pandemia. E tantos outros brasileiros têm sentido no bolso os reflexos de uma política desastrosa. 
 
Este momento de crise nos exige coragem e solidariedade. Por isso é essencial colocarmos força também nas outras campanhas lançadas pelas centrais sindicais. Entre elas, a luta pelo retorno do auxílio emergencial de R$ 600 até dezembro, pelo menos. E a ampliação de duas parcelas do seguro-desemprego, durante a pandemia. 
 
A organização e a força são nossas marcas. São com elas que vamos atravessar mais este momento e fazer nossas reivindicações serem atendidas. 
 
Muito está em jogo nesta campanha salarial. Nossos direitos estão na mira dos patrões. E não podemos deixar as nossas conquistas em segundo plano. Vamos nos unir ainda mais para defender a nossa Convenção Coletiva. Só com a mobilização vamos obter avanços. Junte-se ao Sindicato e fortaleça as nossas lutas!


Jorge Nazareno - Jorginho
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) da Presidência da República e da direção nacional da Força Sindical