Buscar
Cadastro Newsletter
Redes Sociais
Acesso aos Editais

Skip Navigation LinksHome > Lista de Artigos > Artigo
Artigo - Unidos e mobilizados contra o desemprego

O País mergulha numa crise econômica que parece não ter fim, e os trabalhadores brasileiros, não bastasse a recessão em si, seguem preocupados com os efeitos nocivos que a retração da economia provoca. É uma reforma da Previdência que retira direitos, são os juros altos, inflação, a perda do poder aquisitivo dos salários e das aposentadorias, e o desemprego, que sem dúvida é o que mais preocupa e constrange.                       


São mais de doze milhões de trabalhadores desempregados, número que não para de crescer. Se computarmos aqueles que trabalham, mas menos do que gostariam ou poderiam, e precisando ganhar mais buscam outro trabalho, e, ainda, aqueles que, desempregados, não têm procurado nova colocação pelos mais diferentes motivos, este número quase dobra: 23 milhões de pessoas.


Um trabalhador sem ocupação torna-se vulnerável a uma gama de fatores prejudiciais à sua saúde física e mental. O desemprego, inclusive, é um dos grandes causadores da desagregação familiar.


A Força Sindical e as demais centrais, cientes deste quadro caótico que se apresenta, apresentaram ao governo um documento, por elas elaborado, com propostas viáveis para a geração de postos de trabalho, entre as quais o Plano Nacional de Renovação Veicular dos automóveis, ônibus, motocicletas, caminhões e tratores. No último dia 25 as centrais realizaram o “Dia Nacional de Mobilizações e Paralisações”, com manifestações e atos por várias capitais e cidades do País contra as reformas que suprimem direitos e pelo emprego.


Outra manifestação da Força Sindical contra a retirada de direitos e pelo emprego está marcada para o dia 25 de janeiro na Praça da Sé, em São Paulo. Nas primeiras semanas de fevereiro, atos com os mesmos objetivos acontecerão nas demais capitais brasileiras.


O que o trabalhador não pode é ser, sempre, o mais penalizado com a perda de direitos adquiridos com muita luta, ao longo dos anos, e do seu emprego, principal sustentáculo para que qualquer família possa viver com um pouco mais de conforto e dignidade.

João Carlos Gonçalves (Juruna) Metalúrgico, vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e secretário-geral da Força Sindical