Nova edição da Revista Mundo Sindical

Nossa revista Mundo Sindical, que nunca deixou de circular em formato digital, na internet, agora está de volta com edições impressas bimestrais. É para nós um passo importante e motivo de grande alegria.

A revista impressa volta em um momento muito delicado na vida política do país e de mudanças que, de uma forma ou de outra, irão afetar o dia a dia dos trabalhadores e das organizações sindicais. Um governo sem credibilidade e sustentação política, sem debates aprofundados com todas as partes envolvidas, tenta impor reformas que destroem direitos históricos conquistados pelo mundo do trabalho nos últimos 70 anos.
No Congresso, tramitam as reformas da Previdência e trabalhista. Esta última, já aprovada na Câmara dos Deputados, estava para ser votada no plenário do Senado no momento que fechávamos esta edição. Entre seus muitos pontos polêmicos, alguns suprimindo direitos expressos na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), um, em especial, mexe com as organizações sindicais – o fim contribuição que garante a
independência dos sindicatos e recursos para que continuem lutando por melhores salários para os trabalhadores.

O próprio governo reconheceu a inviabilidade dessa medida, a ponto de o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, já estar negociando com as centrais sindicais uma medida provisória que pode recriar o imposto sindical.

Para entender toda a polêmica que envolve essas reformas, Mundo Sindical ouviu representantes do Judiciário e dos trabalhadores. Sergio Pinto Martins, desembargador do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, que está em nossa capa, afirma com todas as letras que a reforma trabalhista não vai criar mais empregos, ao contrário
do que dizem empresários e autoridades do governo. Para o desembargador, o que cria
empregos é o bom desempenho da economia como um todo. Ele também assina longo artigo
em que contesta a reforma da Previdência da forma como foi proposta, colocando em dúvida a existência de déficit nas contas do sistema.

Pelo lado dos trabalhadores, ouvimos o exministro do Trabalho Antônio Rogério Magri,
hoje militando na Força Sindical, e os presidentes de sete centrais sindicais – Vagner Freitas (CUT); Paulo Pereira da Silva (Força Sindical); Antonio Neto (CSB); Ricardo Patah (UGT); Adilson Araújo (CTB); José Calixto Ramos (NCST); e Ubiraci Dantas (CGTB).

Para completar a edição, um artigo de Carlos Roberto Husek, desembargador e vice-presidente judicial do TRT da 2ª Região, que analisa as mudanças na política econômica e social embutidas nas reformas.

Boa leitura!

Sandra Campos
Editora-Chefe

  MENU DE ACESSO RÁPIDO
 
  EDITAIS
 
  ____________________
  REVISTA MUNDO SINDICAL
 
  ____________________
GALERIA DE FOTOS
Sindicatos recebem registro
sindical na Superintendência
Regional do Trabalho
____________________
 
 

______________________________________________NOTÍCIAS______________________________________________

 
Procurador-geral Rodrigo Janot questiona no
STF constitucionalidade de lei da terceirização
      Presidente da CUT diz que democracia antecede debate
sobre reformas no Congresso
  O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ajuizou nessa segunda-feira (26), no Supremo Tribunal Federal (STF), uma Ação Direta de Inconstitucion...   Presidente da Central participou de audiência pública na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado  
_____________________________________________________________________________________
Centrais reforçam unidade para 30 de junho       Lideranças sindicais condenam reformas trabalhista
e previdenciária
  Mobilizações terão como lema "Vamos parar o Brasil contra a Reforma Trabalhista, em Defesa dos Direitos e da Aposentadoria"   A preocupação com os rumos das reformas e os ataques ao movimento sindical, aos direitos trabalhistas e previdenciários foram a tônica das falas dos m...  
_____________________________________________________________________________________
Posição da OIT pode aprofundar crise do
governo Temer
      Dia 30/6, vamos parar o Brasil contra as reformas
  CUT e centrais cobraram OIT sobre denúncias de violações na reforma trabalhista   Centrais sindicais marcam dia de paralisações e mobilizações contra Reforma Trabalhista  
_____________________________________________________________________________________
CUT repudia plano do governo golpista de
roubar o FGTS
      Centrais Sindicais cobram senador Álvaro Dias
no aeroporto internacional Afonso Pena
  Governo quer usar recursos dos trabalhadores para seguro desemprego e CUT reage com vigor   Representantes das seis Centrais Sindicais do Paraná (Força Sindical, CUT, CTB, Nova Central, Conlutas e CSB), realizaram hoje (26), das 06h às 8h, no...  
_____________________________________________________________________________________