Informativos
Visualizar no navegador | Enviar para um amigo
 
 
 
Informativos | Notícias | Contato
Nota das Centrais: Exigimos providências para resguardar o Estado de Direito! Ditadura nunca mais!

Olá, como vai?!

As Centrais Sindicais divulgaram nota conjunta para repudiar vídeo compartilhado pelo presidente da República convocando as pessoas para protestarem contra o Congresso Nacional. 

Confira a nota:

Na noite desta terça-feira de Carnaval, 25 de fevereiro, a sociedade brasileira recebeu com espanto a notícia de que o presidente da República, eleito democraticamente pelo voto em outubro de 2018, assim como governadores, deputados e senadores, disparou por meio do seu Whatsapp  convocatória para uma manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal, a ser realizada em todo país em 15 de março próximo.

Com esse ato, mais uma vez, o presidente ignora a responsabilidade do cargo que ocupa pelo voto e age, deliberadamente, de má-fé, apostando em um golpe contra a democracia, a liberdade, a Constituição, a Nação e as Instituições.

Não há atitude banal, descuidada e de “cunho pessoal” de um presidente da República. Seus atos devem sempre representar a Nação e, se assim não o fazem, comete crime de responsabilidade com suas consequências.

Ressaltamos que, segundo o Art. 85 da Constituição Federal:
“São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentem contra a Constituição Federal e, especialmente, contra: II - o livre exercício do Poder Legislativo, do Poder Judiciário, do Ministério Público e dos Poderes constitucionais das unidades da Federação”.

A Nação brasileira deve repudiar a enorme insegurança política que fere a liberdade, os direitos dos cidadãos, que trava a retomada do crescimento e, por consequência, alimenta o desemprego e a pobreza.

Precisamos ultrapassar essa fase de bate-bocas nas redes sociais e de manifestações oficiais de repúdio aos descalabros do presidente da República.

Não podemos deixar que os recorrentes  ataques  à nossa democracia e à estabilidade social conquistadas após o fim da ditadura militar e, sobretudo, desde a Constituição Cidadã de 1988, tornem-se a nova normalidade.

Diante desse escandaloso fato, as Centrais Sindicais consideram urgente que o  Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional se posicionem e encaminhem as providências legais e necessárias, antes que seja tarde demais.

Do mesmo modo, conclamamos a máxima unidade de todas as forças sociais na defesa intransigente da liberdade, das instituições e do Estado Democrático de Direito.

São Paulo, 26 de fevereiro de 2020

Sergio Nobre, presidente da CUT (Central única dos Trabalhadores)
Miguel Torres, presidente da Força Sindical
Ricardo Patah, presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores )
Adilson Araújo, presidente da CTB (Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)
José Calixto Ramos, presidente da NCST (Nova Central de  Sindical de Trabalhadores)
Antonio Neto, presidente da CSB (Central de Sindicatos do Brasil)
Atnagoras Lopes, secretário nacional da CSP CONLUTAS
Edson Carneiro Índio, secretário geral da Intersindical Central da Classe Trabalhadora
Ubirací Dantas de Oliveira, presidente da CGTB (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil)

Beijos,

Sandra Campos
Editoral da Revista e Portal Mundo Sindical
Celular 11-948-137-799

 
Sindicato conquista canal de atendimento a bancárias vítimas de violência
  Fenaban se comprometeu em apresentar detalhes desse acordo nos próximos dias, para serem discutidos pelo Comando dos Bancários
VER MAIS

Ministro do TST anuncia acordo entre petroleiros e Petrobras
  Segundo o juiz, haverá desconto e compensação dos dias parados. E nova reunião para tratar da demissões no Paraná. "Nossa greve foi vitoriosa", diz di...
VER MAIS

Morre Gilson Menezes, líder de uma greve que marcou retomada do sindicalismo
  Ele comandou a paralisação dos operários da Scania, de São Bernardo, em 1978. Também foi prefeito de Diadema
VER MAIS

Sindicato da Sorocabana participa de audiência pública para questionar concessões das linhas da CPTM
  O sindicato da sorocabana é totalmente contra ao processo de concessão das linhas ferroviárias públicas
VER MAIS

Sintetel entrega Pauta de Reivindicações das prestadoras
  Nesta terça-feira, 18 de fevereiro, a direção do Sindicato entregou a Pauta de Reivindicações dos trabalhadores das empresas prestadoras de serviços e...
VER MAIS

SINTECT-SP: Delegados(as) sindicais debatem lutas e indicativo de greve
  Os trabalhadores presentes foram unânimes na defesa de um PLANO DE LUTAS UNIFICADO para enfrentar os ataques e a política de desmonte do governo Bolso...
VER MAIS

Metroviários definiram greve para o dia 4 de março
  Caso não se tenha nenhuma proposta por parte da empresa que garanta o pagamento da PR no dia 28, assembleia de preparação da greve será realizada no d...
VER MAIS

No 8 de março, mulheres vão às ruas por justiça, democracia e contra Bolsonaro
  Haverá manifestações em todos os estados do país; em São Paulo (SP), o ato será na avenida Paulista
VER MAIS

Mais de 80% das greves no país em 2019 foram por manutenção de direitos
  De 1.118 paralisações acompanhadas pelo Dieese, 921 foram as chamadas defensivas: por manutenção de condições ou descumprimento de direitos
VER MAIS

Campanha exige redução de salários dos políticos em São José
  Coleta de assinaturas está sendo feita na Praça Afonso Pena, no Sindicato e em outros pontos da cidade
VER MAIS

TST garante parte das reivindicações e mantém negociações sobre a Fafen-PR
  Petroleiros conquistam mudanças nas tabelas de turno, o cancelamento das advertências aos grevistas, redução de multas e o desconto de 50% dos dias pa...
VER MAIS

Quem quer um Brasil para todos tem que ir para rua dia 18 de março, diz Sergio Nobre
  Ao convocar ato para 18 de março, presidente da CUT avisa que serviços públicos de saúde, educação e Previdência, podem acabar se não houver luta. Par...
VER MAIS

 

 
 
 
 
 

Facebook Twitter YouTube