Buscar
Cadastro Newsletter
Redes Sociais
Acesso aos Editais

Skip Navigation LinksHome > Lista de Notícias > Notícia
Notícia - Sindicato dos Condutores/SP: Primeira rodada de negociação salarial é marcada por choradeira patronal
Sindicato dos Condutores/SP: Primeira rodada de negociação salarial é marcada por choradeira patronal

O presidente do Sindicato dos Condutores/SP, Valdevan Noventa, foi o primeiro a fazer uso da palavra na reunião desta manhã (19/04) que deu início às negociações salariais.

O representante maior dos trabalhadores lamentou a ausência do Poder Público, embora tenha sido convidado. “ Todo vez que é chamado a participar por ser parte interessada no assunto, esquiva-se. Depois reclama quando não há entendimento entre as empresas e o Sindicato que se vê forçado a utilizar outros instrumentos de luta como as paralisações para garantir os direitos da categoria”.

Noventa desejou à comissão de trabalhadores e ao SPUrbanuss, em nome do seu presidente, Francisco Cristovam, êxito nas negociações que devem ser pautadas por uma relação de respeito como já aconteceu anteriormente.

Logo em seguida, o técnico em economia do sindicato patronal, Wagner,  fez uma explanação sobre o transporte público urbano da Capital Paulista. Os dados apresentados são preocupantes, com a queda de 8,5% de passageiros em 2016. Entre outros fatores que foram decisivos para o desequilíbrio financeiro do sistema estão: a crise econômica do País, o aumento da gratuidade, o não reajuste da tarifa e os atrasos constantes do repasse dos subsídios da Prefeitura que acumula, hoje, um déficit de R$323 milhões com as empresas.

O SPUrbanuss está pessimista com relação a uma solução a curto prazo e que se medidas não forem tomadas, o transporte público entrará em colapso. A verdade é que as empresas são simpáticas ao plano do prefeito Doria de reduzir a frota de ônibus (proposta está na licitação) e acabar com a função dos cobradores, por meio de uma jogada de marketing de que esses 19 mil profissionais serão realocados.

Ao final, o presidente Noventa falou que o discurso do patronal está repleto de contradições. “Se vai diminuir a frota em 10% como vai promover o cobrador? Isto é uma mentira. Eu já tinha falado que o calcanhar de aquiles é a gratuidade ampliada. Falta ao Poder Público e aos empresários terem um olhar humano para com milhares de pais e mães de família que precisam do emprego para seu  sustento. Já fizemos a luta anteriormente para  garantir os cobradores, faremos de novo e, se Deus quiser, seremos vitoriosos”.

O presidente do Sindicato dos Condutores/SP finalizou dizendo que se o problema é a gratuidade, quem concedeu é que pague a conta.

Fonte: Sindicato dos Condutores de São Paulo - 20/04/2017
 
Comentários