Buscar
Cadastro Newsletter
Redes Sociais
Acesso aos Editais

Skip Navigation LinksHome > Lista de Notícias > Notícia
Notícia - Sindnapi vai ajudar idosos a manter grupo de baile em Brumadinho-MG
Sindnapi vai ajudar idosos a manter grupo de baile em Brumadinho-MG

O corpo e a mente agradecem, pois, além de exercitar o físico, a dança faz bem para a cabeça. Não é preciso ser médico nem psicólogo para entender a sensação de alegria que contagia os dançarinos.

Aprendendo novas coreografias, o dançarino desenvolve a noção de ritmo, o equilíbrio, e a coordenação motora. O cérebro ativa o sistema nervoso e favorece a memória, liberando um hormônio chamado endorfina, que estimula a sensação de bem-estar e alegria. Com organismo ativo e autoestima em alta, não há lugar para a tristeza ou depressão.

Mas a Prefeitura de Brumadinho ignora o poder de elevação física e espiritual dos bailes e está desalojando um grupo composto por mais de cem pessoas, que, desde março de 2000, se reúne para compartilhar bons momentos.

SINDNAPI APOIA IDOSOS

Em nome dos idosos, Nilton Vicente dos Santos procurou o Sindicato dos Aposentados, Pensionistas e Idosos de Minas Gerais (Sindnapi-MG) e pediu ajuda para solucionar o problema. Prontamente, Cosme Jesus da Cunha, presidente do sindicato, procurou a Fundação João Fernandes do Carmo e expôs o problema aos responsáveis na esperança de manter o acesso do grupo ao local que frequentam há tanto tempo.

O sindicalista acredita que, mais do que dançar forró, o local serve de ponto de encontro entre as pessoas, que se renovam a cada evento. A dança reduz a tendência à inatividade e combate o sedentarismo e a depressão.

“Os idosos desejam viver outras experiências e os bailes são momentos próprios para promover a socialização, pois todos estão integrados no ritmo da festa, construindo ou reforçando amizades através da dança, das brincadeiras e da troca”, destaca Cosme Jesus, que lamenta a atitude do poder público, “que deveria compreender melhor o contexto”, diz.

O presidente do Sindnapi mineiro vê superada visa antiga de que a velhice era uma etapa de decadência física e invalidez, quando o idoso era condenado à solidão e ao isolamento afetivo. Ao contrário, Cosme Jesus enxerga nessa etapa da vida um momento de lazer propício para a realização pessoal que ficou incompleta na juventude, a partir da criação de novos hábitos, e cultivo de laços afetivos e amorosos alternativos à família.

RESPEITAR OS IDOSOS TAMBÉM É LEI

O presidente do Sindnapi-MG lembra que o Estatuto do Idoso, aprovado pelo Congresso Nacional em Setembro de 2003 e sancionado pelo Presidente da República no mês seguinte, foi transformado em Lei, que prevê penalidades para aqueles que não respeitarem os idosos.

O regulamento assegura todos os direitos fundamentais aos cidadãos com idade a partir de 60 anos, como oportunidades e facilidades para a conservação da saúde física e mental, além da garantia do aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social em condições de liberdade e dignidade.

Conforme o Estatuto, “a obrigação de assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, a alimentação, a cultura, ao esporte e lazer, ao trabalho, a cidadania, a liberdade, a dignidade, ao respeito e a convivência familiar e comunitária” é da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público.

Fonte: Assessoria de imprensa da Força Sindical-MG - 09/02/2018
 
Comentários