Notícia - Metroviários conquistam renovação de acordo coletivo

Hoje (29/7) houve o julgamento do Dissídio Coletivo dos metroviários. O TRT (Tribunal Regional do Trabalho) ratificou a proposta feita pelo MPT (Ministério Público do Trabalho) que foi aprovada pela categoria na assembleia de 27/7. O Acordo Coletivo foi renovado até 30/4/2021, com algumas ressalvas.

Alguns itens do Acordo foram reduzidos por seis meses, de maio até novembro, mas os valores serão ressarcidos nos meses seguintes. Os itens são: adicional noturno, Gratificação por Tempo de Serviço, adicional normativo de férias e as horas extras não compulsórias (as horas extras compulsórias continuam com 100%).

A Sentença Normativa será publicada nos próximos dias. Todos os outros itens do Acordo, incluindo o plano de saúde Metrus, foram renovados. Apenas os itens acima foram reduzidos por seis meses mas os valores serão devolvidos.

O Sindicato vai procurar o Metrô para informar que não concorda com o desconto de 10% e que seu restabelecimento tem que ser urgente. Vai reivindicar que sejam restabelecidos os vários direitos garantidos no julgamento, tais como adicional risco de vida e auxílio-transporte. Para isso é necessário reprocessar a folha de pagamento. O Sindicato também reivindica que não sejam descontadas as horas dos companheiros que chegaram atrasados no dia 28/7 por conta da suspensão da greve.

A renovação do Acordo só foi possível pela força da organização dos metroviários. O governo teve de recuar dos seus ataques por conta da greve que foi decretada e seria muito forte.


Fonte:  Sindicato dos Metroviários de São Paulo - 30/07/2020


Comentários