Notícia - A luta por uma sociedade mais justa e mais presença sindical na política

Campos Machado, com 30 anos de vida pública no PTB, é o deputado mais antigo da Assembleia Legislativa de São Paulo. Está no oitavo mandato. Entrou na política pelas mãos de Jânio Quadros. Carrega um espírito jovem invejável. “Sou um plantador de sonhos”, afirma em entrevista exclusiva à Mundo Sindical. Diz ter grande responsabilidade como presidente do PTB paulista, que terá 500 candidatos a prefeito e vice no Estado nas eleições municipaisde novembro. “Minha maior preocupação sempre foi com os necessitados”, afirma, ao comentar as suas quase 1.000 proposições de Projetos de Lei já apresentadas – 301 transformadas em Leis. Uma delas foi o direito à gratuidade no transporte público para os idosos. O deputado sempre teve como alvo a defesa da família e do emprego, o que o levou a criar 25 departamentos setoriais dentro do partido em São Paulo, incluindo o PTB Mulher e o PTB Sindical. “Vejo com muita preocupação a substituição do trabalhador pela tecnologia e não acho correto o enfraquecimento dos sindicatos.” E deixa um apelo: “É o momento de o movimento sindical se engajar na política partidária”. Confira.

QUEM NÃO SABE SONHAR, NÃO SABE VIVER

Mundo Sindical - O Sr. já tem um lugar de destaque na história da Alesp e do PTB. Depois de tantas lutas, ainda há projetos a concluir ou sonhos a realizar?

Campos Machado - Sou um plantador de sonhos. Sempre acreditei que quem não sabe sonhar, não sabe viver. Vou continuar sonhando, lutando e buscando novos ideais. E tenho uma grande responsabilidade à frente do PTB paulista, que é o partido mais histórico e tradicional deste país e, no Estado deSão Paulo, nunca estivemos tão fortes. Apesar de a pandemia ter atrapalhado o trabalho de todos os partidos, o PTB terá 500 candidatos a prefeito e vice no Estado, que contarão com o apoio de uma militância aguerrida, de mais de 333 mil filiados em São Paulo. Meu projeto para este ano é repetir o feito da última eleição municipal: fazer do PTB o partido que mais cresceu no Estado.

Na Capital, o partido terá como candidato a prefeito o advogado, presidente da OAB-SP por dois mandatos, Marcos da Costa, e a pernambucana e Policial Militar, Edjane Sousa, como candidata a vice-prefeita. Portanto, temos uma chapa forte, pois conta com duas lideranças que têm muita credibilidade, compromissadas em resolver as agruras sociais mais profundas do paulistano, além de ser uma chapa marcante, por representar a união entre a Lei e a Ordem. É disso que precisa a maior cidade da América Latina. Em relação aos vereadores da cidade de São Paulo, o partido tem 150 pré-candidatos avereador, sendo 50% mulheres.

PREOCUPAÇÃO É COM OS MAIS NECESSITADOS

Mundo Sindical - O Sr. tem uma vida dedicada à Alesp, com centenas de Projetos de Lei e três centenas transformados em Leis. Quais foram suas maiores conquistas?


Campos Machado - Estou no meu oitavo mandato na Assembleia Paulista. São 30 anos de vida pública, sendo líder, ininterruptamente, do PTB há 28 anos. Minha preocupação sempre foi com os mais necessitados. Em quase 1.000 proposições de Projetos de Lei, 301 foram transformadas em Leis, beneficiando os mais diversos segmentos da sociedade. Como, por exemplo, o direito à gratuidade no transporte público para os idosos e o Banco de Projetos, Lei que permite à sociedade civil e aos cidadãos elaborarem proposições de Lei, que podem ser aprovadas pela Assembleia Legislativa paulista. Na crise, propus um Projeto para indenizar famílias dos servidores da saúde, que contraíram o vírus por estarem na linha de frente do combate à Covid-19. E, agora, estou lutando contra o PL 529/2020, encaminhado pelo governo do Estado, que é um verdadeiro desmonte do serviço público, nas áreas da saúde e da habitação, ferindo até mesmo a autonomia das universidades públicas, retirando verba de investimento em pesquisa.

EMPREGO E FAMÍLIA LIDERAM AS PRIORIDADES

Mundo Sindical - O Sr. é líder estadual e secretário-geral da Executiva Nacional do PTB, seu único partido. Como analisa sua história de dedicação à defesa dos direitos trabalhistas, do bem-estar dos trabalhadores e suas famílias?


Campos Machado -  Sou petebista e trabalhista desde que ingressei na vida pública. Minha preocupação sempre foi defender o emprego e a família. Fizemos uma verdadeira revolução em São Paulo, criando departamentos que, hoje, são um total de 25 - o das mulheres, por exemplo, é o maior movimento demulheres do país. É presidido pela minha amiga Sandra Campos, mulher combativa no movimento sindical, à frente da Fetrabras (Federação Nacional dos Trabalhadores Cooperados). Temos o departamento Inclusão Social, o PTB Jovem, o PTB Inter-religioso, o PTB Afro, que tem uma luta atuante contra o preconceito racial, dentre outros. Todos esses departamentos têm um papel fundamental de interlocução com os mais diversos setores da sociedade e contribuem, e muito, na formulação de políticas públicas. Em relação aos filiados, somos mais de 1 milhão de filiados, em âmbito nacional, e oPTB de São Paulo é um dos grupos políticos mais fortes do Brasil.

SOU O FILHO HOMEM QUE JÂNIO NÃO TEVE

Mundo Sindical - Como nasceu sua amizade com Jânio Quadros? Qual a ligação com o ex-presidente?


Campos Machado -  Conheci Jânio Quadros em 1985 e tenho muito orgulho por ter sido seu advogado. Foi dele o convite para ingressar na política. Sou um janista convicto. Tenho dois orgulhos que trago no peito, como se fossem duas medalhas conquistadas em campo de batalha: o primeiro é que fui advogado de Jânio de 1985 até sua morte, em 1991; o segundo, que Jânio morreu dizendo para quem quisesse ouvir que eu era o filho homem que ele não teve.

NÃO ACHO CERTO ENFRAQUECER SINDICATOS

Mundo Sindical - Diante das mudanças no mundo do trabalho, das novas tecnologias e das reformas que vêm sendo feitas na CLT, como vê o emprego e ação dos sindicatos?


Campos Machado - Vejo com muita preocupação a substituição do trabalhador pela tecnologia e não acho correto o enfraquecimento dos sindicatos, que têm, e sempre tiveram, o compromisso de defender os interesses do trabalhador. A precarização do trabalho e as ameaças aos direitos trabalhistas fazem mal ao Brasil. E para combater esse problema precisamos apoiar representantes que têm o real compromisso de defesa desses direitos.

PTB NASCEU PARA DEFENDER TRABALHADOR

Mundo Sindical - Quais foram os objetivos que norteram a criação do PTB Sindical? Quais são as esratégias do partido na defesa dos sindicatos e dos direitos dos trabalhadores, como no caso da greve dos caminhoneiros em maio de 2018?


Campos Machado - O PTB nasceu para defender o trabalhador. A criação do PTB Sindical, um dos Departamentos do Partido, baseou-se unicamente na união de sindicatos das mais variadas categorias de trabalhador. Fomos, na verdade, o primeiro partido a criar um departamento especificamente voltado para as demandas do trabalhador e do movimento sindical. Apesar de ser uma iniciativa moderna e inovadora, é preciso ressaltar que a defesa do trabalhador e a luta dos sindicatos são bandeiras indissociáveis do PTB. Até porque todos os direitos trabalhistas - férias, 13º salário, voto feminino, a Consolidação das Leis Trabalhistas como um todo - fazem parte do legado petebista ao nosso Brasil.

É HORA DE ABRAÇAR POLÍTICA PARTIDÁRIA

Mundo Sindical - Não estariam os trabalhadores e os sindicatos precisando de mais representantes e defensores no Poder Legislativo (Congresso, Assembleias estaduais e Câmaras municipais)?


Campos Machado - Nestas eleições, juntamente com o Presidente do PTB Sindical, Norival Preto, presidente da Federação dos Caminhoneiros (que conta com mais de 600 mil filiados no Estado), e com ex-ministro do Trabalho, Rogério Magri (coordenador do PTB Sindical), buscamos candidatos em diversas categorias de trabalhadores. Há uma grande necessidade de apoiarmos lideranças verdadeiramente comprometidas com as bandeiras e demandas do trabalhador, quer nas Câmaras municipais, quer no Congresso. Este trabalho só está sendo possível agora porque, antes da pandemia, realizamos a maiorcampanha de filiação da história do PTB em São Paulo. E as lideranças sindicais, que sempre estiveram conosco, estão ainda mais próximas do PTB, pois compreendem que esta é a hora de o movimento sindical se engajar na política partidária, pois é ela que tem a real capacidade de promover transformações sociais. Creio que somente dessa forma continuaremos fazendo história em defesa dos trabalhadores - não somente do Estado de São Paulo,mas de todo o país.

MENSAGEM À FAMILIA PETEBISTA

Mundo Sindical - Que mensagem gostaria de deixar à Família PTB - seus eleitores, trabalhadores e sindicalistas?


Campos Machado - Ao final, gostaria de deixar uma mensagem à Família Petebista: nunca, nunca mesmo, abdiquem de seus direitos, lutem sempre pelos seus ideais e jamais deixem de sonhar com um mundo melhor para todos os brasileiros.

INCANSÁVEL DEFENSOR DO DIÁLOGO COM A POPULAÇÃO

Advogado criminalista, formado pela Universidade de São Paulo (USP), o deputado estadual paulista Campos Machado (PTB) é o mais antigo integrante da Assembleia Legislativa (Alesp). Ainda porta-se como um jovem idealista. E sempre pautou sua atuação pelo respeito aos ideais que norteiam sua história de vida. Está no 8º mandato. Nas últimas eleições, foi o deputado estadual mais bem votado do PTB em todo o Brasil. É presidente do PTB paulista e secretário-geral da Executiva Nacional do partido, no qual ingressou há 30 anos pelas mãos de Jânio Quadros. Desde cedo, cultivou o princípio da autoridade, a preocupação com a ordem e a honestidade, características primordiais do ideal janista: a defesa permanente de uma sociedade mais justa. Desde seu 1º mandato, Campos Machado mantém papel de destaque na Alesp. Sua atuação prioriza as áreas de segurança, emprego, educação, saúde e acessoà Justiça pelo cidadão de São Paulo, mas contempla um amplo leque de problemas que compõem o cotidiano do brasileiro. Até hoje, foram quase 1.000 proposições de Projetos de Lei, 301 transformados em Leis - algumas de repercussão nacional. É permanente o esforço do deputado para abrir canais de diálogo com a população, por entender que o trabalho parlamentar exige atenção permanente aos pleitos daqueles para os quais as leis são concebidas e criadas. Ampliar oportunidades para o cidadão participar na defesa dos seus direitos contribui para o aprimoramento do regime democrático.


Fonte:  Redação Mundo Sindical / Foto: José Antonio Teixeira - 16/09/2020


Comentários