Notícia - "PTB deve defender a volta do Ministério do Trabalho", Magri

Campos Machado se destaca dos demais deputados por sua visão social, sempre em direção dos mais necessitados. Possui um caráter que transmite confiança.

O PTB paulista, conduzido por ele, defende um sindicalismo forte e atuante, que participe das políticasem geral, se preparando para assumir cargos relevantes nas Câmaras Municipais, nas Assembleias Legislativas e no Congresso Nacional, onde nossa representatividadequase não existe.

Tivéssemos lá mais representantes afinados com o mundo do trabalho e sindical, comprometidos com a defesa dos direitos dos trabalhadores, não teríamos aprovada, do jeito que foi, a reforma trabalhista de 2017 (Lei 13.467/17), com a mudança de mais de 100 artigos da Consolidação das Leis do Trabalho(CLT). E não teríamos aprovadas outras tantas medidas governamentais destinadas a acorrentar e sufocar os sindicatos.

O PTB tem que defender a volta do Ministério do Trabalho, órgão que nasceu em 1930, com Getúlio Vargas. Seu primeiro titular, LindolfoCollor, ao assumir a Pasta, afirmou: “Esse será um ministério revolucionário na defesa do capital e do trabalho”. Havia lá atrás uma consciência clara da importância de haver um “fiel da balança” entre o mundo empresarial e o mundo do trabalho. Serviu como embrião da criação da Justiça do Trabalho nadécada de 1940. Essa preocupação desapareceu no início do atual governo, que extinguiu a Pasta e fatiou seu espólio em três partes, entregues aos ministérios da Justiça, Cidadania e Economia.

O verdadeiro partido dos trabalhadores é o PTB. O PT veio muito depois. Foi o PTB que criou a CLT, modificada em 2017 e ainda alvo de constantes ataques por aqueles que pouco ou nada se importam com a perda de direitos e com ossacrifícios impostos aos trabalhadores.

O Departamento Sindical do PTB, dirigido brilhantemente por Norival Preto, presidente do Sindicatodos Caminhoneiros de São Paulo (Sindicam-SP) e da Fetrabens, estuda propostas de mudança no movimento sindical. É preciso lançar bases para uma nova estrutura sindical. O Departamento estáconsciente de que o problema hoje são os sindicatos e é para isso que estamos lutando, em busca de um grande consenso que permita resgatar nossa missão de mediadores entre patrões e empregados, defendo tanto o crescimento das empresas como os direitos dos trabalhadores.

Esse foi o sonho de Getúlio Vargas. Esse é o sonho de justiça social de Campos Machado.

Norival Preto, presidente do PTB Sindical, Sindicam-SP e Fetrabens

Queremos mais parlamentares lutando pelos trabalhadores


O engajamento do movimento sindical na política nos municípios do Estado de São Paulo é praticamente obrigatório. É importante termos mais parlamentares eleitos para defender os trabalhadores de modo geral. Todos os 25 departamentos do PTB em operação em SP estão incumbidos de lutar por este resultado. Com o PTB Sindical não é diferente. Tem uma obrigação ainda maior: defender os trabalhadores. Já reunimos um grande número de pré-candidatos para as próximas eleições municipais. Temos que aproveitar a solidariedade vinda do deputado Campos Machado, que é o nosso líder. Sozinhos, nada conseguiremos. Precisamos de todos para atingir nosso objetivo – uma vitória expressiva para podermos conquistar os benefícios de queprecisamos.


Fonte:  Redação Mundo Sindical - 16/09/2020


Comentários