Notícia - Ato em Florianópolis protesta contra manobras da Gol para impor acordo coletivo

Trabalhadores da Gol Linhas Aéreas realizaram um ato simbólico no Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, nesta quarta-feira (16), para protestar contra manobras ilegais da empresa contra os aeroviários. Para fortalecer a mobilização, mostrar solidariedade e apoio, dirigentes de sindicatos CUTistas de outras categorias da região também participaram do ato.

Para tentar impor um acordo coletivo que retira diversos direitos dos trabalhadores, a Gol realizou uma assembleia online irregular, não aprovada pela diretoria executiva do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), em que profissionais teriam aceitado a proposta da empresa. Qualquer pessoa poderia participar desta votação, já que dados - como CPF - não foram solicitados. O acordo aprovado irregularmente não garante qualquer estabilidade de emprego, reduz em até 50% jornada e salário e impõe que quem aderir à Licença não Remunerada fica sem salário e pode ser demitido a qualquer momento.

Para o presidente do Sindicato Nacional dos Aeroviários, Luiz Pará, as manobras que a Gol vem realizando são inaceitáveis  “Nosso sindicato é democrático e nós queremos sim fechar um acordo, mas não do jeito que a Gol está impondo, com retirada de diversos direitos já conquistados e praticando ações ilegais. Não vamos aceitar isso. Estamos tomando todas as atitudes cabíveis e vamos continuar lutando para proteger a nossa convenção coletiva”.

Para contrapor a irregularidade cometida pela empresa, nos dias 28 e 29 de agosto a direção do SNA realizou assembleia com a categoria, em que para votar foi necessário a inclusão de dados como CPF e número de matrícula na empresa. Na ocasião, 60,9% dos trabalhadores recusaram a proposta da empresa.

No ato, para dialogar com os trabalhadores e chamar a atenção de quem estava no aeroporto, os participantes estenderam faixas e entregaram materiais denunciando as irregularidades que a Gol está cometendo. Toda a mobilização seguiu as normas das organizações de saúde, mantendo o distanciamento social e com uso de máscaras.

Práticas antissindicais

A assessoria jurídica do SNA tem recebido inúmeras denúncias de profissionais de diferentes bases do Brasil que afirmam ter sofrido sérios casos de coação dos gestores da Gol para aprovarem a proposta da empresa.

A tática mais grave da empresa neste momento é a perseguição aos dirigentes sindicais. Alguns profissionais que são funcionários da empresa aérea e representam o SNA vêm sofrendo coações e intimidações por parte da gestão.

Marcelo Rodrigues, bancário do Rio de Janeiro e integrante da direção nacional da CUT, participou do ato e frisou a solidariedade da central aos aeroviários da Gol e aos dirigentes da SNA “A Gol adota práticas absolutamente antissindicais e agressão aos dirigentes eleitos do Sindicato Nacional dos Aeroviários. Vamos fazer atos em todo o país para denunciar essa prática. A CUT será incansável em fazer todos os esforços para defender os direitos dos trabalhadores e estar junto com o sindicato e seus dirigentes”.

Solidariedade de classe

Dirigentes sindicais da executiva da CUT Santa Catarina, dos Bancários de Florianópolis (SEEB Floripa), dos servidores municipais de São José (SINTRAM SJ), dos empregados em edifícios de Florianópolis (SEEF) também estiveram no ato em solidariedade aos ataques que os aeroviários da Gol estão sofrendo.

O Secretário Geral da CUT-SC, Rogério Côrrea, “A CUT Santa Catarina e seus sindicatos são solidários aos trabalhadores aeroviários porque temos compromisso com a defesa da classe trabalhadora. Não podemos aceitar calados o assédio com os dirigentes, com ameaça de demissões e perseguição, e as manobras ilegais para impor o acordo coletivo que a Gol está realizando”.

 


Fonte:  Pricila Baade (CUT-SC) - 16/09/2020


Comentários