Notícia - CNTM: Miguel Torres e Mônica Veloso participam da live do 3° Congresso Mundial da IndustriAll

O presidente da Força Sindical, da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, Miguel Torres, e a vice-presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco, Mônica Veloso, diretora da IndustriAll, participaram por videoconferência do 2° dia (15.9.21) do 3° Congresso Mundial da IndustriAll, com base em Genebra, Suíça.

Confira a fala de Miguel Torres:

 “Democracia no Brasil agoniza.

No último Congresso da IndustriAll ocorrido no Rio de Janeiro o Brasil vinha bem ou mal contabilizando avanços das políticas sociais, ampliando direitos, sobretudo relacionados a proteção e seguridade social, até aquele momento o Brasil era mencionado como exemplo de país que desde 2004 vinha derrubando a pobreza absoluta reduzindo a fome elevando o salário mínimo e garantindo a milhões de brasileiros emprego formal e acesso a cidadania e ao consumo.

Se tratava do período mais longevo da democracia 1985-2016, contudo um pouco antes do Congresso da IndustriAll ocorrido em Outubro de 2016, a Presidente eleita Dilma Russef sofrerá um Golpe parlamentar ue desencadeou um processo de desmonte  do Estado e fragilização da democracia, vários foram os processos em curso que deram suporte para o esses momento em que a democracia agoniza:

Reforma trabalhista, previdenciária e Sindical aniquilaram com os trabalhadores e sua representação sindical, os governos Temer e Bolsonaro, desmontaram boa parte do sistema de proteção social, acabaram com a apolítica de salário mínimo e praticamente acabaram com o regime geral de previdência social, ademais acabaram com parte do financiamento Sindical, reduzindo 99% da arrecadação das entidades sindicais. 

O governo Bolsonaro deu sequência ao governo Temer, aprofundando a crise, promovendo ataques diários às minorias, instituições, meio ambiente, saúde, imprensa, movimento sindical etc. Como se isso não bastasse o atual governo já atua para que o processo eleitoral previsto pela constituição de 1988, não ocorra em 2022. Aqui  não se trata de viabilizar uma reeleição, é inviabilizar o sistema procedimental eleitoral que prevê a cada 4 anos um sufrágio eleitoral para avaliar os representantes eleitos. O governo Bolsonaro trabalha de forma escancarada não só para desmontar as instituições do Estado do próprio poder executivo e dos Estados, como também para neutralizar o legislativo (fazendo uso de orçamento paralelo, pautas bombas vias MP) como nas ameaças ao judiciários, notadamente STF e arma seus apoiadores.

No último 7 de Setembro de 2021, o atual presidente ensaiou mais um movimento para o chamado Golpe do Golpe, até a data desse Congresso, nenhuma medida para além da retórica foi tomada para barra-lo. Estamos flertando perigosamente com um desfecho que pode mergulhar o país novamente nas trevas, com consequências nefastas para seu povo. É preciso reagir de forma clara, contundente, o movimento sindical vem denunciando esse processo e tentando mitigar esses ataques, mas é preciso  o apoio  de todos, não só no Brasil, mas dos 50 milhões de trabalhadores nos 140 países que a IndustriAll representa, para que possamos definitivamente  recuperarmos a normalidade democrática no Brasil. 

É preciso mais do que nunca lutamos pela Democracia, direitos sociais, combate à pobreza e a desigualdade  ultrajante brasileira. O momento é agora, amanhã pode ser tarde demais”. 


Fonte:  CNTM - 15/09/2021


Comentários