Notícia - Motoristas SP: Pauta de Reivindicações e Proposta de Plano de Cargos e Salários do Setor da Manutenção são aprovados

Na manhã de terça-feira (14), a diretoria plena e os delegados sindicais do reuniram-se para discutir os principais problemas que afetam os trabalhadores do Setor de Manutenção, aprovando, por unanimidade, a pauta de reivindicações e uma proposta de Plano Cargos e Salários.

De acordo com Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2021/2022), as empresas têm um prazo de 60 (sessenta) dias, a contar de 28 de julho, para solucionar todas as ocorrências – inclusive as de ordem salarial – referente ao Plano de Carreira. Outro tema prioritário e que deverá ser debatido com os empresários é a instalação de uma “Comissão Paritária Permanente de Negociação”, que deverá discutir questões relativas ao setor.

“A sensação de abandono enfrentada nas garagens, a falta de reconhecimento profissional e a ausência de uma política séria que regulamente promoções, reajuste salarial para todas as funções e o descumprimento de cláusulas importantes da CCT são as principais reclamações da categoria” explicou o secretário da pasta, Nailton Francisco de Souza (Porreta).

Nailton também apontou outras irregularidades como funcionários fora de função, demora na promoção funcional, defasagem salarial, falta de piso salarial em determinadas funções, punições excessivas, não fornecimento de instrumentos de trabalho, desrespeitos às normas de saúde e segurança no trabalho, dentre outras.

“Nosso plano objetiva organizar e padronizar os cargos internos, garantindo competitividade salarial em relação ao mercado, deixando claro a todos as possibilidades de carreira existentes na empresa. E a empresa terá critérios claros para fazer as possíveis progressões. Assim, o nível de satisfação e produtividade aumentará”, garantiu Nailton.

Propostas de melhoria nas condições de trabalho setor de manutenção:

1 – Solucionar a situação dos funcionários que se encontram fora de função, promovendo-os imediatamente;
2 – Equiparar salários defasados, ajustando todas as funções;
3 – Definir nomenclatura de todas as funções existentes no setor de manutenção;
4 – Criar o piso mínimo de salário de todas as funções;
5- Implantar o quadro de carreira na manutenção, por meio de um plano de cargos e salários. E a avaliação de desempenho de cada função existente na manutenção;
6 – Melhorar as condições de saúde e segurança no local de trabalho, bem como retomar as negociações sobre cumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho;
7- Melhorar as condições de trabalho com investimentos em equipamentos de ferramentas de uso coletivo individual;
8 – Implantar folga dupla para os funcionários da manutenção em esquema de compensação, garantindo o sistema de plantões;
9 – Contratação de mais mão-de-obra onde existir defasagem;
10 – Acabar com a mão-de-obra terceirizada na manutenção, por meio da incorporação dos atuais prestadores de serviço no quadro funcional das empresas;
11 – Fazer cumprir os planos de manutenção preventiva e corretiva, com investimentos na compra de peças de boa qualidade;
12 – Exigir das empresas aplicação de cursos, treinamentos e aperfeiçoamento para os funcionários do setor;
13 – Construção de área de lazer nas garagens;
14 – Adicional de insalubridade como forma de compensação aos trabalhadores expostos a agentes nocivos no ambiente de trabalho.

Proposta de criação de grupo e cargos no setor de manutenção

Grupo 01 – Será composto com os seguintes cargos:

Funileiro Oficial; Mecânico Oficial; Eletricista Oficial; Pintor Oficial; Letrista Oficial; Tapeceiro Oficial; Carpinteiro Oficial; Moleiro Oficial; Marceneiro Oficial; Vidraceiro Oficial; Soldador Oficial; Borracheiro Oficial; Torneiro Oficial.

Grupo 02 – Será composto com os seguintes cargos:

Funileiro meio-oficial; Mecânico meio-oficial; Eletricista meio-oficial; Pintor meio-oficial; Letrista meio-oficial; Tapeceiro meio-oficial; Carpinteiro meio-oficial; Moleiro meio-oficial; Marceneiro meio-oficial; Vidraceiro meio-oficial; Soldador meio-oficial; Borracheiro meio-oficial; Lubrificador meio-oficial; Torneiro meio-oficial; Alinhador meio-oficial.

Grupo 03 – Será composto com os seguintes cargos:

Ajudante de manutenção mecânico; Ajudante de manutenção funileiro; Ajudante de manutenção eletricista; Ajudante de manutenção moleiro; Ajudante de manutenção carpinteiro; Ajudante de manutenção vidraceiro; Ajudante de manutenção tapeceiro; Ajudante de manutenção soldador; Ajudante de manutenção pintor; Ajudante de manutenção torneiro mecânico; Ajudante de manutenção borracheiro; Ajudante de manutenção lubrificador; Ajudante de manutenção alinhador; Lavador; Abastecedor.

Grupo 04 – Será composto com os seguintes cargos:

Eletricista oficial de instalação predial; Eletricista meio-oficial de instalação predial; Ajudante de eletricista de instalação predial; Pedreiro oficial de instalação predial; Pedreiro meio-oficial de instalação predial; Ajudante de pedreiro de instalação predial; Encanador oficial de instalação predial; Encanador meio-oficial de instalação predial; Ajudante de encanador de instalação predial; Pintor oficial de instalação predial; Pintor meio-oficial de instalação predial; Ajudante de pintor de instalação predia.;Jardineiro oficial; Jardineiro meio-oficial e Ajudante de Jardineiro.

Grupo 05 – Será composto com os seguintes cargos:

Mecânico especializado em montagens; Eletricista especializado em montagens; Funileiro especializado em abarroamento; Torneiro mecânico;

Grupo 06 – Será composto com os seguintes cargos:

Encarregado de manutenção; Inspetor de manutenção; Mestre de manutenção.
Em todos os grupos dos cargos citados, haverá a classificação por letras de (A,B,C,D e E), e todas as vezes que houver mudança de letra haverá uma gratificação. Toda contratação de um funcionário novo será na letra A, sendo que após o vencimento do período de experiência, o mesmo passará para a letra B. Para as demais letras a mudança será de dois em dois anos, com promoção automática sendo que no intervalo desse período, será realizada uma avaliação e quem for bem avaliado terá o benefício antecipado em um ano.
Nos casos em que os funcionários forem promovidos para outro cargo, ele também começará pela letra A daquele cargo, desde que seu salário seja menor ao que ele passará a receber na nova função. O aumento mínimo por mudança de cada letra será de 3%, quando o funcionário chegar à última letra do seu cargo, ele passará a receber anualmente 1% de aumento salarial, além dos aumentos salariais, por força do acordo coletivo.


Fonte:  Sindicato dos Motoristas de São Paulo - 15/09/2021


Comentários