Artigo - Brasil precisa de uma frente ampla para voltar a crescer

Sem empregos, sem ganho real, sem aposentadoria decente, sem comida na mesa e sem moradia. Esse é o retrato do Brasil de hoje. O país não tem uma política pública para reverter a situação do desemprego e de outros problemas que enfrentamos no nosso dia a dia. 
 
Enquanto isso, a inflação consome mais da metade do salário e da aposentadoria de milhares brasileiros que, muitas vezes, mal conseguem levar uma cesta básica para casa. 
 
Há anos não presenciávamos uma miséria tão grande no país. Claro que a pandemia favoreceu esse quadro, mas ela só acelerou o que já estava acontecendo. Escancarou o que já era previsto em um governo que não se volta para os mais pobres, que não se importa com a fome dessas famílias e com a desesperança presente no olhar de mães e crianças que não sabem se terão comida à mesa no dia seguinte. 
 
Enquanto tivermos 14 milhões de desempregados e uma política de desvalorização do salário mínimo, o Brasil não irá se desenvolver. A questão do emprego só se resolve com o crescimento do país. 
 
Vários setores da economia estão paralisados por falta de ação do atual governo. Por isso, precisamos recuperar o país. Precisamos de uma política de valorização do salário mínimo e de aumento da aposentadoria para que os brasileiros voltem a ter poder de compra.  
Para isso, precisamos construir uma grande frente envolvendo os movimentos sociais, movimentos populares, partidos políticos. É necessário construirmos uma grande frente para ganharmos as eleições e mudar o Brasil para voltar a ter empregos e crescimento econômico. 


Paulo Pereira da Silva
deputado federal SP, presidente do Solidariedade, ex-presidente da Força Sindical