Artigo - Ajude o Natal sem Fome

Um grupo de Sindicatos da cidade decidiu lançar a campanha “Natal sem Fome”. O objetivo é arrecadar cestas básicas e alimentos não-perecíveis, que serão entregues a entidade beneficentes e de caridade. Elas distribuirão a famílias carentes.

Cada Sindicato fará a campanha conforme as suas próprias condições. Nosso apelo é pra que as pessoas empregadas façam doação e as empresas também ajudem. Aliás, as empresas podem ajudar mais. No caso dos Metalúrgicos, não abriremos conta corrente pra receber doações. Só receberemos cestas ou alimentos em nossa sede.

Agradeço a cada Sindicato que participa de campanha tão importante. Agradeço, especialmente, a Força Sindical Regional Guarulhos, liderada por José Barros da Silva Neto, que uniu as entidades em prol de um projeto tão importante.

Nossa campanha é simples. Ela é feita pelas redes sociais, por vídeos dos próprios sindicalistas e ainda com uma Carta à população, na qual explicamos os objetivos e divulgamos dados alarmantes sobre o desemprego, o subemprego e a fome que atinge o estômago de 19,4 milhões de brasileiros.

A Folha de S. Paulo da segunda, 29, trazia de manchete: “Paulistanos dependem de doação, xepa e até lixo pra matar a fome”. Uma senhora de 74 anos disse ao repórter: “O preço dos alimentos está muito alto. Eu deixo de comer coisas pra comprar o gás”.

Outro dia me perguntaram se a campanha Natal sem Fome tinha o objetivo de criticar o governo. Eu respondi: – Tem o objetivo de matar a fome das pessoas e evitar que um só brasileiro seja humilhado durante a data mais importante pra nós, cristãos, que é o nascimento do Menino Jesus.

Mais de 110 milhões de patrícios vivem no que se chama de insegurança alimentar. Ou seja, não sabem se terão alguma coisa pra comer no dia seguinte. Isso no País que é o maior produtor de carne do mundo!

Sintomas – Esses são os sintomas mais comuns da fome: pele fria, seca, pálida, fina e sem elasticidade; redução da musculatura e aspecto envelhecido; ossos salientes; cabelos secos, quebradiços, que caem facilmente; magreza extrema. O cérebro começa a falhar, perdendo a função de comandar o corpo. Perda de raciocínio, tonturas e náuseas são comuns nesse estágio.

Tudo isso é dramático. Mas nada é mais triste do que a humilhação de ver um chefe de família sem ter o que dar a seus filhos. Ou, então, enganar a fome da criança com farinha misturada na água.

Faremos tudo pra que campanha Natal sem Fome seja apoiada pela população e que, no Dia de Natal, as pessoas tenham ao menos um prato raso de comida.

Você encontra mais informações no site www.metalurgico.org.br – Doe, ajude, participe.


Josinaldo José de Barros (Cabeça)
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região