Artigo - Salve o 1º de Maio!

O Dia Internacional do Trabalhador foi criado em 1889 na 2ª Internacional Socialista de Paris. A data visa lembrar a greve do 1º de maio de 1886, em Chicago. É uma homenagem a todos que lutaram por condições dignas de trabalho, aos mártires deste episódio que foram condenados à morte ou à prisão perpétua e aos trabalhadores e trabalhadoras que no dia a dia lutam por melhores condições de vida e justiça social.

Neste ano temos um 1º de Maio no contexto das celebrações dos 200 anos de Independência do Brasil, com enormes desafios políticos, econômicos e sociais para superarmos, e de uma eleição extremamente importante para a classe trabalhadora participar, votar e ser melhor representada nos governos e legislativos.

E, para valorizar aqueles que contribuem com o crescimento do País, temos o 1º de Maio da UGT, na Avenida Paulista, em São Paulo, com a exposição “Os 200 anos da Independência e Nós, Trabalhadores”, do artista plástico Kobra. Os trabalhos ficarão expostos, na ciclovia, de 1 a 31 de maio.

Parabenizo o 1º de Maio Unificado das centrais sindicais no Pacaembu, os demais atos pelo Brasil e no mundo todo, e a expressiva participação dos artistas e lideranças sindicais, sociais e políticas que defendem a democracia, a justiça e o desenvolvimento social.

Chega de violência, desemprego, carestia, fome e ataques ao meio ambiente e aos direitos da classe trabalhadora. Vamos juntos alcançar desde já um futuro melhor. Salve o 1º de Maio!


Chiquinho Pereira
Presidente do Sindicato dos Padeiros de São Paulo e da Febrapan (Federação Brasileira dos Trabalhadores nas Indústrias de Panificação, Confeitarias e Padarias) e Secretário de Organização, Formação e Políticas Sindicais da UGT