Notícia - Senado aprova o PL 2564/20. Agora a luta é na Câmara dos Deputados

O Senado aprovou nesta noite de 24 de novembro de 2021, o PL 2564/20, que estabelece o Piso Salarial da Enfermagem, com o valor de R$ 4.700, para Enfermeiros, 70% desse valor para técnicos de Enfermagem e 50% para auxiliares de Enfermagem e parteiras.

Agora, o projeto segue para a Câmara dos Deputados e já existe o compromisso do presidente Artur Lira de que encaminhará para o Colégio de Líderes já na próxima semana com a recomendação de que seja colocado em votação no plenário.

Além das entidades da Enfermagem, participaram da reunião, os deputados Mauro Nazif, presidente da Frente Parlamentar em Defesa das 30 horas da Enfermagem; o deputado Célio Studart, presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Enfermagem e da deputada Carmen Zanoto. 

A secretária geral do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo, Solange Caetano, que é também coordenadora parlamentar do Fórum Nacional de Enfermagem, esteve na reunião. “Esperamos que o presidente Artur Lira mantenha seu compromisso e assim contribua para valorização da Enfermagem, aprovando o principal projeto que possibilitará melhores condições de vida aos Enfermeiros”, afirmou Solange. 

No entanto, ela chama atenção que a mobilização precisa ser mantida e intensificada. “A Câmara Federal é mais suscetível aos interesses do governo e também dos grupos econômicos privados da saúde que fazem um grande lobby pela não aprovação do nosso Piso Nacional”, avalia, acrescentando que por isso mesmo, a mobilização terá de ser permanente. “Na Câmara também precisaremos pressionar pela aprovação do PL 2295/2000 para garantir a jornada de 30 horas semanais”, afirma.

Para a presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo, Elaine Leoni, mesmo que o piso aprovado não tendo sido o orginalmente proposto, é um primeiro passo importante para a valorização da categoria. “Vamos realizar todos os esforços de mobilização para garantir a votação e a sanção do nosso piso ainda neste ano”, finaliza.


Fonte:  Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo - 25/11/2021


Comentários