Notícia - Em clima de unidade, nova direção dos Metalúrgicos do Sul Fluminense afirma: "iremos devolver o Sindicato para o trabalhador"

“A vitória da Chapa 2 foi uma resposta clara da categoria que padecia sem representatividade. E, de maneira imediata, iremos trabalhar pela reconstrução dos direitos e pelo papel pujante do nosso Sindicato”, afirmou Edimar Leite, presidente eleito para a nova gestão Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense, durante Seminário, “Pedras no Caminho”, realizado pela CTB, em São Paulo, na tarde desta quarta (3).

Ao destacar o papel da CTB na luta pela retomada do Sindicato, Odair Silva, vice-presidente dos Metalúrgicos do Sul Fluminense, ressaltou que a unidade e resistência foram fundamentais para que a Chapa 2 alcançasse essa importante vitória. E emendou: “Essa nova direção sabe os desafios que terá pela frente, mas nossa unidade é forte e será fundamental para a retomada do Sindicato”.

Participação das mulheres na luta

Rompendo uma espiral de exclusão, a Chapa 2 foi a única a indicar mulheres em sua composição. “Um momento de muita alegria e de garantia de representatividade, muito importante para nós mulheres metalúrgicas. Mas, isso é só o começo”, afirmou Juliele Pereira da Costa, membro do Conselho Fiscal da nova direção.

Rosimery Cristina Ferreira, que é membro suplente da Executiva do Sindicato, também apontou a importância de ter mulheres na luta. “Está na luta é o primeiro passo para se garantir direitos. Sabemos que os desafios serão gigantes, mas para nós estar no Sindicato é fundamental para garantir a reconstrução dos nossos direitos”, reforçou ela.

Departamento Jurídico

Ao comentar os primeiros passos que o Sindicato irá trilhar após a posse da direção – que ocorrerá em setembro –, Leandro Ribeiro Vaz Neto, o advogado e diretor Jurídico na nova direção do Sindicato, afirmou que será reformular o papel do Departamento Jurídico da entidade, que representa a categoria em Volta Redonda, Barra Mansa, Resende, Itatiaia, Quatis, Porto Real e Pinheiral. 

“O objetivo desta gestão é devolver o Sindicato à categoria e romper com a onda de entreguismo da direção anterior. Construir uma entidade forte e que atue, de fato, para representar a categoria e defender os direitos fundamentais dos metalúrgicos e metalúrgicos da região. O momento é de desafios, mas tenho certeza que iremos construir um novo capítulo da história de luta dos metalúrgicos”, afirmou Vaz Neto.

Nova direção

A Chapa 2, liderada pela CTB em aliança com o Conlutas, venceu a eleição para a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense. O placar final superou as expectativas da oposição. Foram 1212 votos para a Chapa 2, 67,1% do total, contra 335 (18,5%) da situação (Chapa 1, ligada à Força Sindical) e 230 (12,7%) da Chapa 3, apoiada pela CUT. O pleito foi encerrado e apurado na noite de quinta-feira (28).


Fonte:  Joanne Mota, para o Portal da CTB - 04/08/2022


Comentários