Notícia - Quarta (3) é dia nacional de mobilização dos servidores públicos federais e Sinasefe inicia greve

Essa semana será marcada pela intensificação das greves dos servidores públicos federais, que estão em luta por reajuste salarial, valorização das carreiras e defesa dos serviços públicos. Na quarta-feira (3), os professores e técnicos das instituições de educação básica, profissional e tecnológica iniciam greve por tempo indeterminado.

Segundo o Sinasefe (sindicato nacional da categoria), docentes e técnicos já aprovaram a adesão em mais de 230 unidades da rede federal, espalhadas por 18 estados.

A mobilização nas instituições federais de educação básica, profissional e tecnológica se soma à greve da Fasubra (Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil) que entra na 4ª semana de uma forte paralisação.

Nesta quarta-feira, atos deverão acontecer em diversos estados do país e reafirmar a bandeira de luta da categoria: 0% de reajuste não dá!

Já os docentes das instituições de ensino superior, organizados pelo ANDES-SN, aprovaram greve para o dia 15/4. Rumo à construção para paralisação, as seções sindicais estão realizando assembleias e criação de comitês locais de mobilização.

Jornada de Luta

Nos dias 16, 17 e 18 de abril, acontecerá a Jornada de Luta “0% de reajuste não dá!”.

O primeiro dia será marcado pela audiência pública, requerida pela Deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP), para debater as mobilizações e paralisações dos servidores técnico-administrativos de universidades e IFs, na Comissão de Administração e Serviço Público, da Câmara dos Deputados, às 16h.

No dia 17/04 os servidores públicos federais farão uma grande marcha em Brasília. A concentração deverá ocorrer em frente ao Ministério da Fazenda. O dia 18 será dedicado às demandas específicas de cada entidade que compõe o Fonasefe.

Por valorização dos servidores e serviços públicos

Organizados no Fonasefe (Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais), as entidades do funcionalismo lutam por valorização dos servidores e serviços públicos.

Entre as reivindicações estão a reposição das perdas salariais que a categoria sofreu nos últimos sete anos e que chegam a 34%; a recomposição do orçamento da Educação Federal, bem como o rechaço à Reforma Administrativa em discussão no Congresso e já admitida pelo governo Lula.

As categorias também estão em luta para derrubar uma série de portarias, instruções normativas, decretos administrativos e ações monocráticas do governo Bolsonaro que significam um verdadeiro desmonte do serviço público federal. 

Todo apoio às categorias em greve!

A CSP-Conlutas entende que é fundamental apoiar as diversas categorias de servidores públicos em greve em todo o país. Na última reunião da Coordenação Nacional, foi aprovada uma resolução para que todas as entidades de servidores trabalhem para garantir um forte dia de luta em 3 de abril.

“Lançar um chamado ao conjunto das categorias das instituições federais de ensino a avançar para a construção imediata de uma greve geral da educação federal, chamando também os estudantes a apoiar a greve e à construção de um calendário de lutas unitário, que avance também no sentido de uma greve no movimento estudantil”, diz trecho do texto.

A CSP-Conlutas também defende que é necessário pressionar as direções das demais centrais sindicais, para que a mobilização e a luta direta tomem o lugar das ineficientes e intermináveis rodadas de negociação com o governo.

Todo apoio à greve do funcionalismo federal!

0% de reajuste não dá!

Não ao arcabouço fiscal e ao arrocho no Orçamento do país!


Fonte:  CSP-Conlutas / Foto: Jesiel Araújo/Sintuff (assembleia dia 26/3) - 02/04/2024


Comentários

 

O Mundo Sindical e os cookies: nós usamos os cookies para guardar estatísticas de visitas, melhorando sua experiência de navegação.
Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.