Notícia - Fortalecimento da comunicação pública foi tema de encontro de comunicadores em SP

O fortalecimento da comunicação pública e formas de financiamento das mídias alternativas e comunitárias foram temas principais do 8º Encontro Nacional de Comunicadores e Ativistas Digitais (BlogProg), realizado no auditório Vladimir Herzog do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo.

Jornalistas, comunicadores populares, estudantes, movimentos sociais e defensores da democratização da comunicação participaram de importantes debates, que além dos temas de destaque, abordaram a defesa da democracia, a relação da juventude com a comunicação, os desafios colocados pela inteligência artificial e a regulação das plataformas digitais.

A atividade foi organizada pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé com o patrocínio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), através do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).

A programação do evento contou com mais de 150 participantes no último dia. A juventude esteve no centro das discussões sobre a comunicação no Brasil.

 

Mobilização social

A importância da participação da sociedade civil em iniciativas para a democratização da comunicação foi destacada pelo secretário nacional de Economia Solidária da CUTAdmirson Medeiros Ferro Júnior (Greg). Ele também é o atual coordenador do Fórum nacional pela democratização da Comunicação (FNDC), destacou

Como exemplo, ele citou a retomada da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação Pública Popular (FrenteCom) criada em 2011 e que está sendo articulada pela deputada Luiza Erundina (PSOL-SP) junto aos movimentos sociais para seu relançamento ainda neste ano.  

“A deputada Luiza Erundina está fazendo ‘das tripas coração’ para resgatar a frente, que deixou de existir. Temos que apoiá-la na para uma rearticulação com deputados para assinar e recriar a frente porque é fundamental ter um espaço de diálogo desses no Congresso”, disse Greg.

 

Juventude

Para o secretário-adjunto de Comunicação da CUT, Tadeu Porto, os debates se destacaram pela alta participação não somente de profissionais das mais de diversas áreas da comunicação, mas do movimento estudantil e da militância pela democratização da comunicação. “Foi uma grande mobilização em torno de um tema crucial para a nossa sociedade”, disse o dirigente.

Ele ainda destacou os resultados do encontro. “Debatemos os rumos da comunicação popular e elaboramos estratégias importantes para o futuro da democratização da comunicação”.

 

Fortalecimento da comunicação democrática

Para o coordenador do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, Altamiro Borges, é preciso melhorar as políticas de comunicação do governo federal em relação às mídias independentes.

“Está faltando mais diálogo do governo com a sociedade e com a mídia independente. Foi a mídia independente que denunciou o golpe contra Dilma, foi a mídia independente que denunciou a prisão de Lula nos 580 dias, foi a mídia independente que denunciou o bolsonarismo. Essa mídia não está tendo visibilidade” disse Borges reafirmando que é preciso um olhar mais atento do poder público ao setor.

 

O evento

A programação contou com especialistas para debaterem temas como o fortalecimento da comunicação pública, das mídias alternativas e comunitárias, a relação da juventude com a comunicação, os desafios colocados pela inteligência artificial e a regulação das plataformas.

Os especialistas representam diversas associações órgãos públicos. Eles cumpriram com o papel de subsidiar os debates com dados e informações. São eles:

  • Jean Lima, presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC);
  • Samira Castro, presidenta Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj);
  • Geremias dos Santos, presidente da Abraço Brasil;
  • Fernando Mauro, presidente da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCCOM);
  • Ricardo Zamora, secretário-executivo da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom/PR);
  • Renata Mielli; coordenadora do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br);

O evento foi organizado pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé com o patrocínio do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), através do CGI.br

 

Homenagem

A atividade relembrou e destacou a atuação de Ênio Barroso, militante por um Brasil mais justo e desenvolvido, que falecido em maio deste ano.

Ênio foi sindicalista do ABC Paulista nos tempos de fundação do PT, lutou pelos direitos dos trabalhadores, pela democracia e contra a ditadura militar. Diagnosticado com distrofia muscular grave desde os anos 80, Enio seguiu seu ativismo de forma incansável pelo melhor do Brasil em blogs e redes sociais, com grande esforço e sacrifício pessoal.

com informações do Barão de Itararé*


Fonte:  Walber Pinto | Editado por: André Accarini - 10/07/2024


Comentários

 

O Mundo Sindical e os cookies: nós usamos os cookies para guardar estatísticas de visitas, melhorando sua experiência de navegação.
Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.