Notícia - Metalúrgicos da Thecmec fazem greve de 48 horas contra atraso nos salários

Os trabalhadores da Thecmec Caldeiraria e Tubulações, em Caçapava, iniciaram uma greve de 48 horas, nesta quinta-feira (8). A paralisação foi aprovada em assembleia, após a empresa atrasar os salários de dezembro e depositar apenas metade da primeira parcela do 13º, também com atraso.

A fábrica não cumpre os pagamentos na data correta há cerca de três meses. O salário que deveria ter caído ontem, mais uma vez não foi pago.

Além disso, há mais de um ano, a Thecmec não deposita o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) dos trabalhadores. Nesse mesmo período, a empresa tem descontado dos holerites o Imposto de Renda e a contribuição do INSS, porém tem se apropriado do dinheiro sem fazer o repasse à Receita Federal e à Previdência.

Outra irregularidade é relacionada ao transporte. A Thecmec deu calote na empresa que fazia esse trabalho e não paga o vale-transporte para os funcionários. Com isso, eles precisam bancar tudo do próprio bolso para ir trabalhar.

Mobilizações
A Thecmec se instalou em Caçapava há sete meses, vindo de Jacareí. No começo de novembro, os metalúrgicos aprovaram aviso de greve para a fábrica exigindo o fim das irregularidades e a negociação da Campanha Salarial. 

Dias depois, a empresa demitiu trabalhadores logo após uma reunião realizada com o Sindicato. Em protesto contra as demissões arbitrárias, os metalúrgicos cruzaram os braços por duas horas, no dia 16.

Com a greve iniciada hoje, a empresa prometeu pagar os salários nesta sexta (9). Se isso for cumprido, os metalúrgicos retornarão ao trabalho na segunda, quando haverá uma nova assembleia.

Contudo, essa é apenas uma das irregularidades cometidas com frequência pela Thecmec. Por isso, o Sindicato aguarda um posicionamento da empresa com urgência.

“Estamos aqui na porta da fábrica e abertos à negociação com os patrões. A situação está insustentável. Em pleno dezembro, os trabalhadores recebem apenas metade da primeira parcela do 13º, não recebem os salários e ainda são obrigados a conviver com o aumento da precarização na fábrica. Não vamos aceitar”, afirma o diretor do Sindicato Arthur Cezário dos Santos.

A Thecmec tem cerca de 70 trabalhadores.


Fonte:  Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos / Foto: Roosevelt Cássio - 09/12/2022


Comentários

 

O Mundo Sindical e os cookies: nós usamos os cookies para guardar estatísticas de visitas, melhorando sua experiência de navegação.
Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.